Foto: Divulgação

Falar de amor entre homem e mulher, é algo normal, mas quando se fala numa nova espécie de amor, gera logo um espanto ou preconceito na cabeça de pessoas que não enxergam a diversidade, numa sociedade diversificada. E para mostrar que não há diferença entre homem e mulher nas suas formas de amar, neste sábado, 08 e domingo, 09, vai ocorrer o espetáculo EROS- Gênesis do Amor e da Ausência, às 17h e às 20h, com entrada gratuita, o evento vai ser na sala de dança da Casa das Artes, em Belém. Após a exibição do espetáculo quem for prestigiar vai ter um breve bate-papo sobre a obra do andrógino.

A obra foi premiada no Edital SEIVA-Produção e Difusão Artística 2018. O espetáculo é uma livre adaptação do mito do Andrógino apresentado na obra “o banquete” do filósofo grego Platão. Assim, o espetáculo Eros – Gênesis do Amor e da Ausência usa uma licença poética que perpassa a filosofia, o afeto, histórias antigas, a natureza e o universo para contar a história de como tempos atrás fomos um, e hoje seguimos em busca incessante da plenitude perdida.

Para ator e autor do projeto, Igor Moura, a obra destaca o momento atual da sociedade brasileira, em termos políticos e no âmbito social. “Na atual conjuntura política do Brasil, podemos presenciar o ódio e desigualdade em vários âmbitos sociais. Nós acreditamos no teatro político, no teatro que denuncia, e que expõe para melhor resolução dos problemas que vivemos hoje em dia”, disse Igor Moura.

O Eros retrata o gênesis do mundo, três eram os gêneros da humanidade, não dois como agora. Havia, portanto, a união do masculino, do feminino, e um terceiro, comum a estes dois. Essas criaturas primordiais possuíam uma força extraordinária. Eram completos e plenos. E devido a isso, representavam uma afronta ao poder da divindade, então eles foram partidos ao meio, foram cruelmente separados, dando início assim à dor da ausência.

“Eros é um espetáculo pensado para melhor entendimento e aceitação das diferenças relações sexuais dentro da sociedade. É um grito, uma voz que ecoa para todos aqueles que também acreditam que não existe somente uma forma de amor”, reiterou, Igor.

Para o ator do espetáculo, Rick Brandão, o projeto também foi pensado para mostrar uma forma de manifesto contra o preconceito homoafetivo.

“Sim, com toda certeza. Ele foi pensado e projetado com esse intuito. Percebemos o retrocesso da humanidade quando vemos ou presenciamos o ódio gratuito contra a comunidade LGBT. Pretendemos fazer o nosso público observar de uma nova perspectiva esse novo gênesis para o nascimento do amor. Do amor que na essência é universal, que é natural, e igualitário”, concluiu Rick Brandão.

 

 

Serviço

Espetáculo “Eros: Gênesis do amor e da ausência”
Apresentações nos dias 8 e 9 de setembro, às 17h e 20h
Local: Sala de Dança da Casa das Artes, na Praça Justo Chermont, 236
Entrada franca.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here